O impacto do mestrado profissional em educação na formação de um docente da educação básica

  • Edmilson Francisco Universidade Federal de Lavras - UFLA
Palavras-chave: Mestrado Profissional; Formação Docente; Contexto Social

Resumo

Este artigo tem por objetivo apresentar reflexões acerca das buscas incessantes pela reelaboração de minha pedagógica, despertadas em mim enquanto mestrando no Programa de Mestrado em Educação na Universidade Federal de Lavras. Ao longo dos dois anos de mestrado foram apresentados métodos, perspectivas e teorias relacionadas à Educação e ao ato de ensinar, além da sugestão de leitura de incontáveis textos e livros. Diante de todo o conteúdo abordado, me chamaram a atenção questões relacionadas à dimensão social da escola e da sala de aula, do pensar sobre a real função e papel do professor e do vínculo entre o ensino e o contexto social no qual a escola está inserida. Assim, neste trabalho, relato como o refletir sobre tais questões influenciaram-me a modificar minhas práticas em sala de aula. Na primeira seção falo de minha experiência no Mestrado Profissional em Educação, na segunda, abordo a questão social do ato de ensinar e, na terceira, discorro sobre a sala de aula como ambiente de descobertas e investigações. Espero que as ideias aqui partilhadas sirvam de incentivo para aqueles professores que, como eu, sonham em proporcionar um ensino que forje cidadãos capazes e com desejo de transformar o contexto onde vivem.

Biografia do Autor

Edmilson Francisco, Universidade Federal de Lavras - UFLA

Mestre em Educação pela Universidade Federal de Lavras (UFLA) Graduado em Filosofia pela Universidade Federal de São João Del Rei/MG (2009), Graduado em Letras com Licenciatura em Português e Inglês pelo Centro Universitário de Lavras - UNILAVRAS (2000), Professor do Ensino Básico nas disciplinas de Língua Portuguesa e Língua Inglesa na Prefeitura Municipal de Lavras/MG. Lavras/MG, Brasil.

Referências

BULGRAEN, Vanessa Cristina. O papel do professor e sua mediação nos processos de elaboração do conhecimento. Revista Conteúdo, Capivari, v.1, n.4, ago. dez. 2010.

CAMPOS, Casemiro de Medeiros. Saberes docentes e autonomia dos professores/Casemiro de Medeiros Campos. 6 ed. – Petrópolis, RJ: Vozes, 2016.

CASTRO, Solange T. Ricardo de. A linguagem e o processo de construção do conhecimento: Subsídios para a formação do professor de inglês. Tese de Doutorado em Linguística Aplicada e Estudos da Linguagem, não publicada. PUC/SP, 1999.

LIBERALI, Fernanda Coelho. Atividade social nas aulas de língua estrangeira. São Paulo: Moderna, 2009, p. 12.
LIBERALI, Fernanda Coelho; MAGALHÃES, Maria Cecília Camargo; ROMERO, Tania Regina de Souza. Autobiografia, diário e sessão reflexiva: atividades na formação crítico-reflexiva de professores. In L. BARBARA & R. C. G. RAMOS (orgs.) Reflexões e ações no ensino-aprendizagem de línguas. Mercado das Letras. 2003.
MACHADO, Anna Rachel. O diário de leitura: a introdução de um novo instrumento na escola. São Paulo: Martins Fontes, 1998, p. 3-53.
MARX, Karl.; ENGELS, Friedrich. A ideologia alemã. Tradução: Rubens Ederle, Nélio Schneider e Luciano Cavivi Martorano, 1. ed. – São Paulo, SP: Editora Boitempo, 2006.
MORAES, Maria Candida. O paradigma educacional emergente: implicações na formação do professor e nas práticas pedagógicas. Em Aberto, Brasília, ano 16. n.70, abr./jun. 1996. Disponível em: < http://rbepold.inep.gov.br/index.php/emaberto/article/viewFile/2081/2050>. Acesso em 28 mai. 2020.
NOVELLI, Pedro Geraldo. A sala de aula como espaço de comunicação: reflexões em torno do tema. Interface — Comunicação, Saúde, Educação, v.1, n.1, 1997.
ROMERO, Tania. A interação coordenador e professor: um processo colaborativo. Tese de doutorado inédita. PUC–SP. 1998.
SMYTH, John. Teachers’ work and the politics of reflection. American Educational Research Journal, vol. 29, n. 2. pp. 267-300.
WALLACE, Michael J. Action research for language teachers. Cambridge University Press, 1998.
ZEICHNER, Kenneth M. 1981. Reflective teaching and field-based experience in teacher education. Interchange12(4), 1981/1982.
Publicado
2020-08-12