Crianças aptas a serem alfabetizadas? Contribuições da educação dos sentidos para o desenvolvimento integral

Autores

  • tiagofreitas tiagofreitas Universidade Estadual do Ceará - UECE
  • Jeannette Filomeno Pouchain Ramos Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-brasileira (UNILAB)

DOI:

https://doi.org/10.30905/rde.v6i1.560

Palavras-chave:

Educação Infantil; Escolarização precoce; Alfabetização; Pedagogia Waldorf; Educação dos sentidos.

Resumo

Este estudo surgiu a partir da leitura e problematização da obra Escola da Infância de Comenius (2011), quando afirma que os pais que quiserem ter um doutor antes do tempo, algumas vezes terão um tolo. Diante de tal assertiva, a questão central deste artigo é quando alfabetizar as crianças? O que antecede a aquisição da língua escrita pela criança? O cerne da discussão versa sobre o processo de escolarização precoce, a prontidão para a alfabetização e iniciação ao mundo das letras, bem como a educação dos sentidos. O objetivo geral é analisar os aspectos que a criança apresenta, principalmente em torno de 4 a 6 anos e 11 meses de idade, para que ela possa ser alfabetizada. Dentre os objetivos específicos, destacamos fomentar o despertar do olhar sensível e ampliado de educadores (as) e familiares, a partir dos contributos da educação dos sentidos. Este estudo de natureza qualitativa, de cunho bibliográfico, revisita conceitos que abordam o desenvolvimento integral da criança a partir da abordagem Pikler, o processo de alfabetização e maturidade escolar, e a teoria dos sentidos na Pedagogia Waldorf. Concluímos que na primeira infância se encontra o germe de toda a vida humana e que o que amadurece é o corpo físico da criança. Despertar os sentidos volitivos (Tato, Vital, Movimento Próprio, Equilíbrio), as habilidades pessoais, interpessoais, a criatividade, e a confiança da criança são as bases para o desenvolvimento infantil integral.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

tiagofreitas tiagofreitas, Universidade Estadual do Ceará - UECE

Mestrando em Educação pelo Programa de Pós-graduação em Educação da Universidade Estadual do Ceará (PPGE/UECE), Fortaleza, Ceará, Brasil. Discente do curso de Licenciatura plena em Pedagogia pela Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-brasileira (UNILAB), Redenção, Ceará, Brasil.

Jeannette Filomeno Pouchain Ramos, Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-brasileira (UNILAB)

Pós-doutora em Belas Artes pela Universidade do Porto - Portugal (2019). Doutora em Educação Brasileira pela Universidade Federal do Ceará (2009). Professora Adjunta do Instituto de Humanidade (IH) da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-brasileira (UNILAB), atuando nos cursos de Pedagogia, Bacharelado em Humanidades e Mestrado Interdisciplinar em Humanidades (MIH).

Referências

AMARANTE, Maria Chantal. Observação-desenvolvimento-maturidade das crianças de 6/7 anos de idade. Editorial - Federação das Escolas Waldorf, 2009. Disponível em: < https://silo.tips/download/editorial-a-coordenaao-do-periodico > Acesso em:12 de dezembro de 2019.

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular. Brasília: MEC, 2017. Disponível em: < http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.pdf > Acesso em: 12 de fevereiro de 2022.

COMENIUS, Jan Amos. A escola da infância. Tradução Wojciech Andzej Kulesza. 120p. (Clássicos). - São Paulo: Ed. Unesp, 2011.

FALK, Judit. Educar os três primeiros anos: a experiência Lóczy. 2a. ed. Araraquara, SP: Junqueira & Marin, 2011.

FERREIRO, Emília; TEBEROSKY, Ana; LICHTENSTEIN, Diana Myriam. Psicogênese da língua escrita. Artes Médicas, 1986.

FREITAS, Luiz Carlos de. Educação Infantil: antecipar a escolarização é crime. Avaliação educacional - Blog do Freitas, 2015. Disponível em: < https://avaliacaoeducacional.com/2015/02/07/educacao-infantil-antecipar-escolarizacao-e-crime/ > Acesso em: 08 de março de 2022.

HOLLOWAY, Jessica. Teacher Accountability, Datafication and Evaluation: A Case for Reimagining Schooling. education policy analysis archives, v. 28, n. 56, 2020. Disponível em: < https://epaa.asu.edu/ojs/index.php/epaa/article/view/5026 > Acesso em: 22 de janeiro de 2021.

KÖNIG, Karl. O desenvolvimento dos sentidos e a experiência corporal. São Paulo, 2000. (mimeo).

KRAMER, Sonia; NUNES, Maria Fernanda; CORSINO, Patrícia. Infância e crianças de 6 anos: desafios das transições na educação infantil e no ensino fundamental. Educação e Pesquisa, v. 37, n. 1, p. 69-85, 2011. Disponível em: < https://www.scielo.br/j/ep/a/vZGy5F6XjQ3C9rS4VvrcMXJ/?format=pdf&lang=pt > Acesso em: 26 de janeiro de 2021.

PESSOA, Fernando. O meu olhar é nítido como um girassol. 1993. Disponível em: < https://www.revistaprosaversoearte.com/o-meu-olhar-e-nitido-como-um-girassol-alberto-caeiro-fernando-pessoa/ > Acesso em: 14 de dezembro de 2019.

PIAGET, Jean. Aprendizagem e conhecimento. In: PIAGET, Jean., GRÉCO, Pierre. Aprendizagem e conhecimento. Rio de Janeiro : Freitas Bastos, 1974.

POHL, Gabriele. Deixem as crianças livres - crianças necessitam de espaço para experiências e assim, serão adultos corajosos. Editorial - Federação das Escolas Waldorf, 2009. Disponível em: < https://silo.tips/download/editorial-a-coordenaao-do-periodico > Acesso em:12 de dezembro de 2019.

STEINER, Rudolf. Andar, Pensar, Falar: A atividade lúdica. Tradução de Jacira Cardoso, 4. 1923. Disponível em: < https://gepepidotnet3.files.wordpress.com/2011/02/steiner_-_andar_falar_pensar1.pdf > Acesso em: 22 de outubro de 2021.

STEINER, Rudolf. A educação da criança segundo a ciência espiritual. São Paulo: Antroposófica, 1996.

STEINER, Rudolf. A educação da criança do ponto de vista da ciência espiritual. São Paulo: Antroposófica, 2012.

STEINER, Rudolf. Os doze sentidos e os sete processos vitais: conferência proferida em Dornach (Suíça) em 12 de agosto de 1916. Antroposófica, 1997.

STEINER, R. GA 40, p. 107. Palestra de 18/9/1916 do GA 171". Trad. VWS. Disponível em: < http://www.sab.org.br/steiner/afor-autod.htm > Acesso em: 14 de junho de 2020.

SAB. Sociedade Antroposófica no Brasil - Princípios da Pedagogia Waldorf. 2020. Disponível em: < http://www.sab.org.br/portal/pedagogiawaldorf/369-principios-pedagogia-waldorf > Acesso em: 15 de agosto de 2020.

SILVA, Dulciene Anjos de Andrade. Educação e ludicidade: um diálogo com a Pedagogia Waldorf. Educar em revista, n. 56, p. 101-113, 2015. Disponível em: < https://www.scielo.br/j/er/a/9BdKCJfZZFSM9KkkwTFc6yD/?format=pdf&lang=pt > Acesso em: 11 de janeiro de 2022.

TARDOS, Ana.; SZANTO-FEDER, Agnes. O que é autonomia na primeira infância. In: FALK, Judit. Educar os três primeiros anos: a experiência Lóczy. 2a. ed. Araraquara, SP: Junqueira & Marin, 2011.

VERONEZI, Ana Mirtiz. A Alfabetização Precoce e Problemas de aprendizagem da língua escrita. In: X Congresso nacional de educação - EDUCERE. Curitiba, 2011. Disponível em: < https://educere.bruc.com.br/CD2011/pdf/5761_3133.pdf > Acesso em: 24 de fevereiro de 2021.

VIGOTSKI, Lev. Psicologia Pedagógica. São Paulo: Martins Fontes, 2001.

WALLON, Henri. Psicologia e Educação da Infância: A Importância do Movimento no Desenvolvimento Psicológico da Criança. Estampa. Lisboa, 1989.

WISPLER, Renata. O que é que amadurece afinal? Bases antropológicas para a maturidade escolar. Editorial - Federação das Escolas Waldorf, 2009. Disponível em: < https://silo.tips/download/editorial-a-coordenaao-do-periodico > Acesso em:12 de dezembro de 2019.

Arquivos adicionais

Publicado

2022-05-09

Como Citar

tiagofreitas, tiagofreitas, & Jeannette Filomeno Pouchain Ramos, J. F. P. R. (2022). Crianças aptas a serem alfabetizadas? Contribuições da educação dos sentidos para o desenvolvimento integral. Devir Educação, 6(1), e–560. https://doi.org/10.30905/rde.v6i1.560

Edição

Seção

Dossiê tematico 2 - Alfabetização e Formação de Professores: limites e perspectivas