Reflexões sobre os processos didático-pedagógicos na educação superior: para além da moda das metodologias ativas

  • Francine de Paulo Martins Lima Universidade Federal de Lavras-UFLA
  • Ronei Ximenes Martins Universidade Federal de Lavras-UFLA
  • Helena Maria Ferreira Universidade Federal de Lavras-UFLA
Palavras-chave: Processos de Ensino e de aprendizagem ativos. Inovação Educacional. Práticas Pedagógicas. Formação de Professores. Didática.

Resumo

Este ensaio problematiza a adoção de Metodologias Ativas e da atuação docente na educação superior, a partir de discussão do aporte teórico que lhes dá base e de reflexões sobre o ensino e a aprendizagem.  Para tal, nos valemos de literatura que aborda os conceitos de Aprendizagem Ativa, Didática, Formação do Professor e Inovação Educacional. Realizamos, também, um levantamento bibliográfico dos artigos e livros brasileiros sobre Metodologias Ativas, publicados entre 2015 e 2020. Discorremos sobre a origem conceitual do termo Metodologias Ativas, seu aporte teórico, o contexto sociocultural que interage com a premência de sua adoção. Analisamos o protagonismo docente e dos estudantes no contexto da aprendizagem ativa e criticamos suas formas de adoção quando realizadas sem reflexão e preparação da instituição educacional. Discutimos, também, as bases epistemológicas da docência e dos processos de ensino e de aprendizagem na perspectiva das aprendizagens ativas, que se configuram como uma questão do campo da Didática. Por fim, elencamos os desafios de um processo de ensino e de aprendizagem ativos e significativos, bem como destacamos elementos necessários para a ressignificação das ações de ensinar e de aprender na educação superior pós-moderna.

Biografia do Autor

Francine de Paulo Martins Lima, Universidade Federal de Lavras-UFLA

Doutora em Educação: Psicologia da Educação pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo - PUC-SP. Professora Adjunta da área de Didáticas e Estágios do Departamento de Educação e do Programa de Mestrado Profissional em Educação da Universidade Federal de Lavras - UFLA, Lavras, Minas Gerais, Brasil.

Ronei Ximenes Martins, Universidade Federal de Lavras-UFLA

Doutor em Psicologia pela Universidade São Francisco. Docente Associado da área de Tecnologia e Educação do Departamento de Educação e do Programa de Mestrado Profissional em Educação da Universidade Federal de Lavras - UFLA, Lavras, Minhas Gerais, Brasil.

Helena Maria Ferreira, Universidade Federal de Lavras-UFLA

Doutorado em Linguística Aplicada e Estudos da Linguagem pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo – PUC-SP. Professora Associada da área de Linguística e ensino de línguas do Departamento de Estudos da Linguagem e do Mestrado Profissional em Educação da universidade Federal de Lavras - UFLA, Lavras, Minhas Gerais, Brasil.

Referências

BACICH, L.; MORAN, J. Metodologias ativas para uma educação inovadora: uma abordagem teórico-prática. São Paulo: Penso Editora, 2018.
BAUMAN, Z. (2001). Modernidade líquida. Rio de Janeiro: Zahar, 2001.
BONWELL, C. C.; EISON, J. (1991). Active learning: Creating excitement in the classroom (ASHE-ERIC Higher Education Report n. 1) Washington. DC: George Washington University, 1991.
BUCKINGHAM, D. (Ed.). Youth, identity, and digital media. Cambridge, MA: MIT Press, 2008.
CANDAU, V. (Org.) A Didática em questão. Rio de Janeiro: Vozes, 2004.
CARR, N. The shallows: what the internet is doing to our brains. Nova York: WW Norton & Company, 2011.
CASTELLS, M. A. (1999). Era da Informação: economia, sociedade e cultura, v. 3, São Paulo: Paz e Terra.
CASTELLS, M.; FERNANDEZ-ARDEVOL, M.; LINCHUAN QIU, J.; SEY, A. Mobile Communication and Society: a global perspective. MIT Press: Cambridge, Massachusetts, 2016.
CHARLOT, B. (2005). Relação com o saber, formação dos professores e globalização: questões para a educação hoje. Porto Alegre: Artmed.
DIESEL, Al.; BALDEZ, A. L. S.; MARTINS, S. N. Os princípios das metodologias ativas de ensino: uma abordagem teórica. Revista Thema, v. 14, n. 1, p. 268-288, 2017. Recuperado de http://revistathema.ifsul.edu.br/index.php/thema/article/view/404.
FRANCO, M.A. R. S. Pedagogia e prática docente. São Paulo: Cortez, 2012.
FREIRE, P. (2015). Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 2015.
GOGUS, A. Active Learning. In: N. M. Seel (Ed.). Encyclopedia of the Sciences of Learning. Springer Science & Business Media, 2011.
LÉVY, P. (1999). Cibercultura. São Paulo: Editora 34. (Tradução de Carlos Irineu da Costa).
MASETTO, M. T. Trilhas abertas na universidade: inovação curricular, práticas pedagógicas e formação de professores. São Paulo: Editora Summus, 2018.
MESSINA, G. (2001). Mudança e Inovação Educacional: notas para reflexão. Cadernos de Pesquisa, n. 114, p. 225-233. Recuperado de https://www.scielo.br/pdf/cp/n114/a10n114.pdf
MESQUITA, S. K. C.; MENESES, R. M. V.; RAMOS, D. K. R.. Metodologias ativas de ensino/aprendizagem: dificuldades de docentes de um curso de enfermagem. Trabalho, Educação e Saúde, v. 14, n. 2, p. 473-486, 2016. Recuperado de https://www.scielo.br/pdf/tes/v14n2/1678-1007-tes-1981-7746-sip00114.pdf.
MORAN, J. Mudando a educação com metodologias ativas. Coleção mídias contemporâneas. Convergências midiáticas, educação e cidadania: aproximações jovens, v. 2, n. 1, p. 15-33, 2015.
MORAN, J. Metodologias ativas para uma aprendizagem mais profunda. In: Moran, J. Metodologias ativas para uma educação inovadora: uma abordagem teórico-prática. Porto Alegre: Penso, p. 02-25, 2018.
PAIVA, M. R. F.; PARENTE, J. R. F.; BRANDÃO, I. R.; QUEIROZ, A. H. B. (2016). Metodologias ativas de ensino-aprendizagem: revisão integrativa. Sanare -Revista de Políticas Públicas, v. 15, n. 2.
ROLDÃO, M. C. Profissionalidade docente em análise – especificidades do ensino superior e não superior. Revista Nuances: estudos sobre a educação. Ano XI; v.12, n.13; jan/dez. p.106-126, 2005. Recuperado de https://revista.fct.unesp.br/index.php/Nuances/article/view/1692/1601.
ROLDÃO, M. C. Função docente – natureza e construção do conhecimento profissional. Revista Brasileira de Educação. v.12, n. 34, p. 94-103, 2007. https://doi.org/10.1590/S1413-24782007000100008.
STRAUSS, S. Folk psychology, folk pedagogy and their relations to subject matter knowledge. In B. Torff and R. J. Sternberg (Eds.), Understanding and teaching the intuitive mind. (pp. 217-242). Mahwah, NJ: Erlbaum, 2001.
SHULMAN, L. Knowledge and teaching: foundations of the new reform. Harvard Education Review, Cambridge, v.57, n.1, p.1-22, 1987.
VALENTE, J. A.; ALMEIDA, M. E. B.; GERALDINi, A. F. S. Metodologias ativas: das concepções às práticas em distintos níveis de ensino. Revista Diálogo Educacional, v. 17, n. 52, p. 455-478, 2017. doi: http://dx.doi.org/10.7213/1981-416X.17.052.DS07,
VIEIRA PINTO, A. O conceito de tecnologia. Rio de Janeiro: Contraponto, 2005.
Publicado
2020-11-29