O encontro da pedagogia do oprimido com a teologia da libertação nas comunidades eclesiais de base: formação de lideranças em perspectiva ética e política

  • Vanderlei Barbosa Universidade Federal de Lavras – UFLA
  • Evandro Moreira da Silva IFSULDEMINAS
Palavras-chave: Comunidades eclesiais de base, Teologia da libertação, Líderes comunitários

Resumo

Este artigo, resultante de uma pesquisa bibliográfica, objetiva refletir sobre o potencial de contribuição do fenômeno religioso chamado Cristianismo de Libertação e seu braço teórico-filosófico – a Teologia da Libertação – para os pressupostos formativos de líderes comunitários no ambiente das Comunidades Eclesiais de Base da Igreja Católica - CEBs, que tiveram seu período de maior efervescência entre as décadas de 1970 e 1990. A relevância da pesquisa situa-se na possibilidade de entendimento de um fenômeno religioso libertário e seu eventual potencial formativo e educativo a partir de uma perspectiva ética e política. Assim, realizou-se uma análise dos teóricos que investigam os temas pertinentes ao Cristianismo de Libertação para identificar, a partir de um caso concreto – o da Comunidade Eclesial de Base (CEB) Nossa Senhora das Mercês do Bairro Macaúbas da Paróquia São José no município de Muzambinho (MG) – como este pensamento contribui de forma pedagógica para a formação de lideranças e para o desenvolvimento comunitário. Para tanto, a pesquisa proposta apropriou-se, inicialmente, de um referencial teórico embasado pela obra de Michael Löwy – cientista social que empenha esforços na compreensão de tal fenômeno. A proposta é entretecer tal referencial ao pensamento educacional de Paulo Freire e ao referido estudo de caso, constituído a partir de entrevistas semiestruturadas, depoimentos e juntada de documentos referentes à CEB Nossa Senhora das Mercês, onde o engajamento de sua líder comunitária foi crucial no desenvolvimento de projetos coletivos – associativos, cooperativos e solidários – que produziram impactos sociais naquela localidade. A análise dos resultados do estudo de caso, feita à luz do referencial teórico proposto, responde como o pensamento teórico e a concretude confirmam a presunção sobre o potencial educativo das práticas do Cristianismo de Libertação como formativas de líderes comunitários engajados em causas sociais e o encontro de tais práticas com a pedagogia libertária de Paulo Freire.

Biografia do Autor

Vanderlei Barbosa, Universidade Federal de Lavras – UFLA

Doutor em Filosofia, História e Educação pela Universidade Estadual de Campinas – UNICAMP.Professor de Filosofia da Educação da Universidade Federal de Lavras – UFLA. Professor do Programa de Pós-Graduação em Educação – PPGE/UFLA e Coordenador e pesquisador do Grupo de Pesquisa Movimento, sabedoria, ideias e comunhão – MOSAICO. Lavras/MG/Brasil.

Evandro Moreira da Silva, IFSULDEMINAS

Mestre em Educação pela Universidade Federal de Lavras. Professor do IFSULDEMINAS

Referências

ANJOS, Gabriele dos. Lideranças de mulheres em pastorais e comunidades católicas e suas retribuições. Cadernos pagu (31), julho-dezembro de 2008:509-534. Disponível em http://www.scielo.br/pdf/cpa/n31/n31a21.pdf. Acesso em: 25 jan. 2018.

BARBOSA, Vanderlei. Da ética da Libertação à Ética do Cuidado: uma leitura a partir do pensamento de Leonardo Boff. São Paulo: Porto de Ideias, 2009.

______________. Notas sobre o pensamento crítico latino-americano. In: Andrea Díaz; Margarita Sgro. (Org.). Teoría critica de educacíon y teoría critica de la sociedad perspectivas en diálogo. 1ed.Tandil: Editorial Unicen, 2018.

BENJAMIN, Walter. Charles Baudelaire: um lírico no auge do capitalismo. São Paulo: Brasiliense, 1994.

BETTO, Frei. O que é Comunidade Eclesial de Base. Brasília: Ed. Brasiliense, 1981

BOFF, Leonardo. Teologia do Cativeiro e da Libertação. Petrópolis: Vozes, 1980.

______________. Eclesiogênese: a reinvenção da Igreja. Rio de Janeiro: Record, 2008.

BOFF, Leonardo e BOFF, Clodovis. Como fazer Teologia da Libertação. Petrópolis: Vozes, 2010.

FREIRE, Paulo. Os cristãos e a libertação dos oprimidos. Lisboa: Edições Base, 1978

____________. Educação como prática da liberdade. Rio de Janeiro: Paz & Terra, 2013.

____________. Pedagogia do Oprimido. Rio de Janeiro: Paz & Terra, 2016.

GUIMARÃES, Zildete A. A contribuição da Pedagogia do Oprimido para a Teologia da Libertação. Pós-Graduação em Ciências da Religião (Dissertação de Mestrado) da Pontifícia Universidade Católica de Goiás, Goiânia, 2011.

JARDILINO, José R. de Lima. Educação e Religião: leitura teológica da pedagogia de Paulo Freire na América Latina. Revista Nures nº 5 – Janeiro/Abril 2007 – http://www.pucsp.br/revistanures Núcleo de Estudos Religião e Sociedade – Pontifícia Universidade Católica – SP. Acesso em 31 de jul. 2017.

LÖWY, Michael. Marxismo e Teologia da Libertação. Traduzido por MyranVers Batista – São Paulo: Cortez: Autores Associados, 1991.

____________. O que é cristianismo de Libertação: religião e política na América Latina – 2 ed – São Paulo: Perseu Abramo, Expressão Popular, 2016.

MOREIRA, Alberto Silva. Contribuições da Teologia da Libertação para os movimentos sociais. Goiânia: Revista Caminhos, v. 10, n. 2, p. 37-55, jul./dez. 2012. Disponível em http://seer.pucgoias.edu.br/index.php/caminhos/article/view/2453/1515, acessado em 31 de jul. 2017.

PARO, Vitor Henrique. Educação como exercício de poder: critica ao senso comum em educação. – 3. ed. – São Paulo: Cortez, 2014.

PEREIRA, Vanderlan Paulo de Oliveira. Pedagogia Freireana e Teologia da Libertação: trilhando caminhos de esperança. João Pessoa: UFPB, 2017. Disponível em http://www.coipesu.com.br/upload/trabalhos/2015/10/pedagogia-freireana-e-teologia-da-libertacao-trilhando-caminhos-de-esperanca.pdf, acesso em 30 de mai. 2018.

YIM, Robert K. Estudo de Caso: planejamento e métodos. Trad. Daniel Grassi – 2.ed. – Porto Alegre: Bookman, 2001.

Publicado
2020-11-29
Como Citar
Barbosa, V., & Moreira da Silva, E. (2020). O encontro da pedagogia do oprimido com a teologia da libertação nas comunidades eclesiais de base: formação de lideranças em perspectiva ética e política. Devir Educação, 4(2), 393-410. https://doi.org/10.30905/ded.v4i2.248