A pedagogia dos multiletramentos e a multiplicidade semiótica no texto infantil

  • Natany Avelar Silva UFLA - Universidade Federal de Lavras
  • Helena Maria Ferreira UFLA - Universidade Federal de Lavras.
Palavras-chave: Produção de texto; Multiletramentos; Formação docente

Resumo

O presente artigo visa a discutir sobre possibilidades de uso de múltiplas semioses em retextualizações feitas por crianças em fase de alfabetização. Para tanto, o artigo traz estudos sobre o papel do professor alfabetizador no processo de produção de textos infantis e sobre os multiletramentos. O texto, que resulta de uma dissertação de mestrado, evidencia a abordagem dos textos infantis em uma perspectiva discursiva, que considera aspectos do processo dialógico do processo de alfabetização para além do estudo do sistema alfabético. Revela-se, com este estudo, que os recursos tecnológicos podem favorecer o processo de produção de textos infantis e contemplar  a interação entre sociedade e escola.

Palavras-chave: Produção de texto; Multiletramentos; Formação docente

Biografia do Autor

Natany Avelar Silva, UFLA - Universidade Federal de Lavras

Mestre em Educação pela Universidade Federal de Lavras.

Helena Maria Ferreira, UFLA - Universidade Federal de Lavras.

Professora  do Programa de Pós-graduação em Educação e do Programa de Pós-graduação em Letras, da Universidade Federal de Lavras

Referências

Referências:
ABAURRE, M. B. M.; FIAD, R. S.; MAYRINK-SABINSON, M. L. (1997). Em busca de pistas. Cenas de aquisição de escrita: o trabalho com o texto. Campinas, SP: Associação de Leitura do Brasil (ABL), Mercado de Letras (Coleção Leituras no Brasil):13-49.

ASPILICUETA, P. Movimento de Subjetivação da Criança na Escrita de Textos: entre o texto do outro e o texto próprio. 2014. 140 f. Tese (Doutorado) - Curso de Programa de Pós-graduação em Letras, Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2014.

BAKHTIN, M. Palavra própria e palavra outra na sintaxe da enunciação. A palavra na vida e na poesia: introdução ao problema da poética sociológica. Org. e equipe de trad. V. Miotello. São Carlos: Pedro & João Editores, 2011.

BORGES, S. O quebra-cabeça: a alfabetização depois de Lacan. Ed. da Universidade Católica de Goiás, 2006.
BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria da Educação Básica. Base nacional comum curricular. Brasília, DF, 2017. Disponível em: . Acesso em: nov/2018.
DELEUZE, G.; GUATTARI, F. Mil platôs: capitalismo e esquizofrenia. Vol. 1. Rio de Janeiro: 34, 1995.

FERREIRA, H. M. Lição de casa: considerações sobre a relação criança/escrita.
Tese de Doutorado, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2008.

FERREIRO, E. Reflexões sobre alfabetização. 25. ed. São Paulo: Cortez, 2010.

GERALDI, J. W. Linguagem e ensino: exercícios de militância e divulgação. São Pauo: Mercado das Letras, 2009.

LEMOS, M. T. G. de. Sobre o que faz texto: uma leitura de Cohesion in English. Delta: Documentação de Estudos em Línguística Teórica e Aplicada, São Paulo, v.8, n.1, p.21-42, 1992.

LERNER, D. Ler e escrever na escola: o real, o possível e o necessário. Porto Alegre: Artmed, 2002.

MOTA, S. B. V. O quebra-cabeça da escrita: a instância da letra na aquisição da escrita. São Paulo: 1995. 271 f. Tese (doutorado) – Psicologia da Educação, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, PUCS. 1995.
OLIVEIRA, E. C. Autoria: a criança e a escrita de histórias inventadas. Maceió: EDUFAL, 1998.

PEREIRA CASTRO, M. F. Ainda a negação: indo mais além na interpretação. Cadernos de Estudos Lingüísticos (UNICAMP), Campinas, v. 29, p. 27-38, 1995

ROJO, R. Pedagogia dos multiletramentos: diversidade cultural e de linguagens na escola. In: ROJO, R.; MOURA, E. (org). Multiletramentos na Escola. São Paulo: Parábola Editorial, 2012.

ROJO, R.; MOURA, E. (org). Multiletramentos na Escola. São Paulo: Parábola Editorial, 2012.

SOARES, M. Letramento: Um tema em três gêneros. Belo Horizonte: Autêntica, 2001.

SOUZA, I. V. de. Multiletramentos e práticas pedagógicas. Rev. Artefactum, v.15, n.2, 2015.
Publicado
2020-08-12