A (re)estruturação da diretriz curricular municipal de Rondonópolis/MT: contribuições do estudo colaborativo do OBEDUC/MT

  • Rosana Martins Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT)
  • Andréia Cristina Santiago Carvalho Universidade Federal de Matro Grosso (UFMT)
  • Marly Souza Brito Farias Universidade Federal de Matro Grosso (UFMT)
Palavras-chave: Políticas Educacionais, Base Nacional Comum Curricular, Professores iniciantes, Formação continuada

Resumo

Neste artigo discorre-se sobre como os professores iniciantes, participantes do OBEDUC da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) de Rondonópolis – Mato Grosso (MT), veem a implementação da Base Nacional Comum Curricular (BNCC) no contexto da política pública, especialmente na (re)estruturação da Diretriz Curricular Municipal de Rondonópolis/MT, visto que surgiu essa necessidade formativa. Para tal formação, partiu-se do entendimento de que a Base não é currículo, sendo as redes e escolas responsáveis pela elaboração dos currículos. É fato que a BNCC traz em seu bojo a tentativa de exercer domínio sobre o saber e de atender agendas e interesses de uma política global.  Assim, por meio dos memoriais de formação, no contexto da formação continuada do OBEDUC/Rondonópolis, objetivou-se apresentar e discutir as reflexões pontuais dos professores da RME referentes à BNCC e à reorganização da Diretriz Curricular do referido município. Os dados, provenientes dos estudos e discussões sobre a BNCC, de docentes que participam do OBEDUC/UFMT, apontam que os estudos e discussões sobre a BNCC têm contribuído para a formação de professores iniciantes, no que diz respeito à mudança na forma de pensar e de compreender suas dificuldades, influenciando positivamente como pensar suas práticas, tomando como referência o currículo escolar e destacam como o processo de colaboração ajuda-os a se posicionar quanto ao realinhamento da Diretriz Curricular da RME de Rondonópolis-MT.

Referências

BARBOSA, I. G.; SOARES, M. A. Educação estética na perspectiva histórico-cultural: contribuições à educação infantil de orientação dialética. In: Educar na perspectiva histórico-cultural: diálogos vigotskianos. Campinas, SP: Mercado de Letras, 2018, p. 137-160.

BARBOSA, Ivone Garcia; SILVEIRA, Telma Aparecida Teles Martins; SOARES, Marcos Antônio. Revista Retratos da Escola, Brasília, v. 13, n. 25, p. 77-90, jan./mai. 2019. Disponível em:

BRANDÃO, Carlos Rodrigues. O que é educação. São Paulo: Brasiliense, 2013, Coleção Primeiros Passos, 57. Reimpressão, 1981.

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular: Educação é a Base. Brasília: MEC/CONSED/UNDIME, 2017. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.pdf.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Terra e Paz, 1996. (Coleção Leitura)

FREITAS, Luiz Carlos de. Os reformadores empresariais da educação e a disputa pelo controle do processo pedagógico da escola. Educação & Sociedade. Campinas, v.35, n. 129, p.1085-1114, out.-dez., 2014.

GIROUX, Henry A. Os professores como intelectuais: rumo a uma pedagogia crítica da aprendizagem. Trad. Daniel Bueno. – Porto Alegre : Artes Médicas, 1997.

GOODSON, Ivor F. Currículo: teoria e história. Tradução Attílio Brunetts. Revisão. Hamilton Francischetti. Apresentação Tomaz Tadeu da Silva. 11. ed. Petrópolis: Vozes, 2011.

LOPES, Alice Casimiro; MACEDO, Elizabeth. Teorias de Currículo. São Paulo: Cortez, 2011. Apoio: Faperj.

MACEDO, Elizabeth Fernandes de. Fazendo a Base virar realidade: competências e o germe da comparação. Revista Retratos da Escola, Brasília, v. 13, n. 25, p. 39-58, jan./mai. 2019. Disponível em: Acesso em: 03/09/2019.

PALACHI, Wagner Barbosa de Lima. Ações colaborativas Universidade – Escola: o processo de formação de professores que ensinam Matemática nos anos iniciais. 2011. 102f. Dissertação (Mestrado em Educação). Pontifícia Universidade de São Paulo. São Paulo, 2011.

RONDONÓPOLIS. Secretaria Municipal de Educação de Rondonópolis. Diretriz Curricular Municipal para o Ensino Fundamental, Rondonópolis, MT: SEMED, 2011.

RONDONÓPOLIS. Secretaria Municipal de Educação de Rondonópolis. Política Municipal de Educação Infantil: Construindo Caminhos, Rondonópolis, MT: SEMED, 2016.

SARTORI, Adriane Terezinha. Os professores e sua escrita: o gênero discursivo memorial de formação. 2008. 219 p. Tese (Doutorado em Linguística Aplicada) – Programa de Pós Graduação do Instituto de Estudos da Linguagem, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, SP, 2008. Disponível em: . Acesso em: 29 maio 2019.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO. Programa de Pós-Graduação em Educação/Câmpus Rondonópolis. Projeto de Pesquisa Professores iniciantes e professores experientes em Mato Grosso e seu desenvolvimento profissional, 2019.
Publicado
2019-11-27