Um estudo sobre as práticas pedagógicas: orientações e decisões em sala de aula

  • Maria de Fátima Barbosa Abdalla Universidade Católica de Santos/Professora da Pós-Graduação
Palavras-chave: Práticas pedagógicas, conhecimentos didáticos, orientações e decisões em sala de aula, representações sociais, anos finais do ensino fundamental

Resumo

Este texto tem como objetivos identificar e analisar as representações sociais dos professores dos anos finais do ensino fundamental de uma escola da rede municipal sobre o que os orientam em suas tomadas de decisão durante suas práticas pedagógicas. Parte-se do pressuposto de que essas representações passam, especialmente, pelos conhecimentos didáticos que os professores possuem e expressam em relação à prática pedagógica, e que traduzem os conteúdos de seus pensamentos e de suas decisões interativas frente às situações didáticas. Trata-se de um estudo com base na teoria das representações sociais (MOSCOVICI, 2012), e que assume uma abordagem qualitativa de pesquisa, utilizando-se de questionário e entrevistas, cujos dados sinalizam para duas dimensões de análise e seus respectivos resultados sobre os conhecimentos didáticos em construção: 1ª Orientações e/ou lógicas na construção de conhecimentos didáticos: direcionando orientações teóricas, sociais, pessoais e/ou da experiência dos professores e para as orientações situacionais; 2ª Decisões e pensamentos interativos em sala de aula: demarcando decisões de rotina, imediatas e/ou reflexivas, que orientam a construção de conhecimentos didáticos. Por fim, espera-se que os elementos aqui introduzidos em torno das orientações e decisões dos professores a respeito de como pensam e compreendem o processo de ensino e constroem os conhecimentos didáticos possam contribuir para se repensar os processos de formação, as práticas pedagógicas e a aprendizagem profissional.

Biografia do Autor

Maria de Fátima Barbosa Abdalla, Universidade Católica de Santos/Professora da Pós-Graduação

Doutora em Educação; Universidade Católica de Santos, Santos/SP, Brasil

Referências

ABDALLA, Maria de Fátima Barbosa. O senso prático de ser e estar na profissão. São Paulo: Cortez, 2006.

ABDALLA, Maria de Fátima Barbosa. Saberes da docência: definindo pistas para inovar as práticas pedagógicas. Revista de Educação da PUC-Camp. Campinas, vol. 20, n. 3, p. 215-227, set/dez, 2015. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/319926250. Acesso em: 29 abril 2019.

ABDALLA, Maria de Fátima Barbosa. Representações profissionais de professores: tensões e pretensões. Revista Educação e Cultura Contemporânea, v. 14, n, 37, p. 130-160, dez. 2017. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/326046464_Representacoes_profissionais_de_professores_tensoes_e_pretensoes, Acesso em: 21 maio 2019.

ABDALLA, Maria de Fátima Barbosa; VILLAS BÔAS, Lúcia. Um olhar psicossocial para a educação. Cadernos de Pesquisa, v. 48, n. 167, p. 14-41, jan./mar.2018. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/cp/v48n167/1980-5314-cp-48-167-14.pdf. Acesso em: 02 junho 2019.

ALTET, Marguerite. Análise das práticas dos professores e das situações pedagógicas. Porto: Porto Editora, 2000.

ANDRÉ, Marli. Políticas de apoio aos docentes em estados e municípios brasileiros: dilemas na formação de professores. Educar em Revista. Curitiba, n. 50, p. 35-49, ou./dez. 2013. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/er/n50/n50a04.pdf. Acesso em: 03 maio de 2018.

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 2007.

BENAVENTE, Ana. Escola, professores e processos de mudança. 2ª. ed. Lisboa: Livros Horizonte, 1999.

BOGDAN, Robert; BIKLEN, Sari K. Investigação Qualitativa em Educação. Porto: Porto Editora, 1994.

BRASIL. Lei n. 9394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Diário Oficial da União. Brasília: Casa Civil da Presidência da República, 1996. Disponível em:
CAETANO, Ana Paula. A complexidade dos processos de formação e a mudança de professores: um estudo comparativo entre situações de formação pela investigação-ação. Porto: Porto Editora, 2004.

CAMILLONI, Alicia R. W. de. Los profesores y el saber didáctico. In: CAMILLONI, A. R. W.; COLS, E.; BASABE, L.; FEENEY, S. El saber didáctico. Buenos Aires: Paidós, 2007, p. 41-60.

CAVACO, Maria Helena. Ofício do professor: o tempo e as mudanças. In: NÓVOA, A. Profissão Professor. 2ª ed. Porto: Porto Editora, 1999, p. 155-191.

CRUZ, Giseli Barreto da. Ensino de Didática e aprendizagem da docência na formação inicial de professores. Cadernos de Pesquisa, v. 47, n. 166, p. 1166-1195, out./dez. 2017. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/cp/v47n166/1980-5314-cp-47-166-1166.pdf. Acesso em: 04 abril 2018.

DAVIS, Claudia Leme Ferreira; TARTUCE, Gisela Lobo; NUNES, Marina Muniz Rossa; ALMEIDA, Patrícia C. Albieri; SILVA, Marina Muniz Rosa; COSTA, Beatriz Souza Dias de Olival; SOUZA, Juliana Cedro de. Anos Finais do Ensino Fundamental: aproximando-se da configuração atual. In: Estudos & Pesquisas Educacionais, n. 3. São Paulo: Fundação Victor Civita, Fundação Carlos Chagas (FCC), nov. 2012, p. 103-193. Disponível em: https://abrilfundacaovictorcivita.files.wordpress.com/2018/04/estudos_e_pesquisas_educacionais_vol_3.pdf. Acesso em: 12 outubro de 2016.

ESTEVE, José M. Mudanças sociais e função docente. In: NÓVOA, A. Profissão Professor. 2ª. ed. Porto: Porto Editora, 1999a, p. 93-124.

ESTEVE, José M. O mal-estar docente: a sala de aula e a saúde dos professores. Bauru: Edusc, 1999b.

ESTRELA, Maria Teresa. Questões de profissionalidade e profissionalismo docente. In: TEIXEIRA, M. (Org.). Ser Professor no limiar do século XXI. Porto: ISET, 2001, p. 113-142.

FARIA, Lenilda Rego Albuquerque de. As orientações educativas contra-hegemôncias em face dos questionamentos pós-modernos. E a Didática com isso? MARIN, A. J.; PIMENTA, S. G. (Orgs.). Didática: teoria e pesquisa. Araraquara: Junqueira & Marin, 2015, p. 67-97.

FLORES, Maria Assunção. Dilemas e desafios na formação de professores. In: MORAES, M. C.; PACHECO, J. A.; EVANGELISTA, M. O. (Orgs.). Formação de Professores: perspectivas educacionais e curriculares. Porto: Porto Editora, 2003, p. 127-160.

FORMOSINHO, João (Org.). Formação de Professores: aprendizagem profissional e a acção docente. Porto: Porto Editora, 2009.

FORTE, Ana Maria; FLORES, Maria Assunção. Potenciar o desenvolvimento profissional e a colaboração docente na escola. Cadernos de Pesquisa, v. 42, n. 147, p. 900-919, set./dez. 2012. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/cp/v42n147/14.pdf. Acesso: 08 maio 2019.

GARCÍA, Carlos Marcelo. Formação de Professores: para uma mudança educativa. Porto: Porto Editora, 1999.

GATTI, Bernadete Angelina. Valorização da docência e avaliação do trabalho docente: o papel da avaliação participativa em um contexto institucional. In: GATTI, B. A. (Org.). O trabalho docente: avaliação, valorização, controvérsias. Campinas: Autores Associados. São Paulo: Fundação Carlos Chagas, 2013, p. 153-176.

GATTI, Bernadete Angelina. Didática e formação de professores: provocações. Cadernos de Pesquisa, v. 47, n. 166, p. 1150-1164, out./dez. 2017. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/cp/v47n166/1980-5314-cp-47-166-1150.pdf. Acesso em: 02 abril 2018.

GATTI, Bernadete Angelina; BARRETO, Elba Siqueira de Sá; ANDRÉ, Marli Eliza Dalmazo de Afonso. Políticas Docentes no Brasil: um estado da arte. Brasília: UNESCO, 2011.

GONÇALVES, Luiz Alberto Oliveira; SILVA, Petronilha Beatriz Gonçalves. O jogo das diferenças: o multiculturalismo e seus contextos. 3ª ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2001.

HARGREAVES, Andy. Os professores em tempos de mudança. Alfragide: McGraw-Hill, 1998.

IMBERNÓN, Francisco. Formação docente e profissional: formar-se para a mudança e a incerteza. São Paulo: Cortez, 2000.

LIBÂNEO, José Carlos. Antinomias na formação de professores e a busca de integração entre o conhecimento pedagógico-didático e o conhecimento disciplinar. In: MARIN, A. J.; PIMENTA, Selma Garrido (Org.). Didática: teoria e pesquisa. Araraquara: Junqueira & Marin, 2015, p. 39-65.

MARIN, Alda Junqueira. A didática, as práticas de ensino e alguns princípios para a pesquisa e a docência. In: MARIN, A. J.; PIMENTA, S. G. (Org.). Didática: teoria e pesquisa. Araraquara: Junqueira & Marin, 2015, p. 17-37.

MELO, Savana D. G.; AUGUSTO, Maria Helena Oliveira Gonçalves. Reformas educacionales y precarización Del trabajo docente: el caso de Minas Gerais – Brasil. In: FELDFEBER, Myriam; OLIVEIRA, Dalila A. (Orgs.). Políticas educativas y trabajo docente: nuevas regulaciones ¿Nuevos sujetos? Buenos Aires: Centro de Publicaciones Educativas y Material Didáctico, 2006, p. 281-298.

MOSCOVICI, Serge. Representações sociais: investigações em psicologia social. 3ª. ed. Petrópolis: Vozes, 2005.

MOSCOVICI, Serge. A psicanálise, sua imagem e seu público. Petrópolis: Vozes, 2012.

NÓVOA. António. Firmar a posição como professor, afirmar a profissão docente. Cadernos de Pesquisa, v. 47, n. 166, p. 1106-1133, out./dez., 2017. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/cp/v47n166/1980-5314-cp-47-166-1106.pdf. Acesso em: 5 de abril de 2018.

PIMENTA, Selma Garrido. O protagonismo da Didática nos cursos de licenciatura: a Didática como campo disciplinar. In: MARIN, A. J.; PIMENTA, S. G. (Org.). Didática: teoria e pesquisa. Araraquara: Junqueira & Marin, 2015, p. 81-97.

ROLDÃO, Maria do Céu. Conhecimento, Didáctica e Compromisso: o triângulo virtuoso de uma profissionalidade em risco. Cadernos de Pesquisa, v. 47, n. 166, p. 1134-1149, out./dez. 2017. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/cp/v47n166/1980-5314-cp-47-166-1134.pdf. Acesso em: 04 março 2018.

RUBALCAVA, Alma Elena Figueroa. Una alternativa para la evaluación de la enseñanza en educación superior desde la perspectiva de los profesores. In: BELTRÁN, M. R.; ARCEO, F.D.B. (Org.). Evaluación de la docencia: perspectivas actuales. Barcelona: Paidós, 2000, p. 255-282.

SHULMAN, Lee S. Conocimiento y enseñanza: fundamentos de la nueva reforma. Revista de Currículum y Formación del Profesorado, v. 9, n. 2, p. 1-30, 2005. Disponível em: https://www.ugr.es/~recfpro/rev92ART1.pdf. Acesso em: 04 jun. 2018.

VERMERSCH, Pierre. Analyse de la tache et fonctionnement cognitif dans la programmation de l’enseignement. Bulletin de Psychologie, vol. XXXIII, 343, p. 1-13, 1977.
Disponível em: https://www.grex2.com/assets/files/expliciter/Analyse_de_la_tache_et_cognitions-2.pdf. Acesso: 11 jun. 2018.
Publicado
2020-06-02