Perspectivas da extensão universitária na formação de professores: contextualização histórico-social

  • Juliana Bonifácio Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais
  • Lorene dos Santos Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais
Palavras-chave: Formação de professores, Extensão Universitária, Contextualização histórico-cultural

Resumo

Este texto apresenta algumas reflexões sobre a dimensão do fazer extensionista no âmbito da formação de professores. Resulta de análise histórico-social da extensão universitária a partir dos marcos legais e oficiais que orientam o contexto das ações formativas nos cursos de licenciatura nas universidades públicas brasileiras, bem como, de diálogo com referenciais teóricos que auxiliam a compreensão das diferentes concepções de extensão universitária que se fazem presentes no universo acadêmico. Desse modo, as reflexões propostas neste texto intentam aproximar o leitor às inquietações decorrentes de uma perspectiva de formação docente que promova a construção de conhecimentos por meio de atividades que valorizem, de igual forma, a tríade: ensino, pesquisa e extensão. Observa-se, na contemporaneidade, avanços significativos na elaboração de dispositivos legais que elencam a relevância das experiências extensionistas no percurso de formação acadêmica, de igual forma, observa-se, também, que a própria comunidade universitária tem se mobilizado para uma ressignificação de suas práticas educativas.

Biografia do Autor

Juliana Bonifácio, Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais

2Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Educação da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais
(PUC-Minas), Belo Horizonte, Brasil

Lorene dos Santos, Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais

Professora do Programa de Pós-Graduação em Educação da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais
(PUC-Minas), Belo Horizonte, Brasil, e-mail

Referências

BONIFÁCIO, Juliana Rodrigues. A extensão universitária e o ensino em saúde na Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri: uma análise dos projetos de extensão. Diamantina, 2017.
BRASIL. Constituição Federal de 1988. Promulgada em 5 de outubro de 1988. Disponível em:
. Acesso em: 18 set. de 2015.
BRASIL. Decreto nº. 19.851 de 11 de abril de 1931. Dispõe que o ensino superior no Brasil obedecerá, de preferência, ao sistema universitário, podendo ainda ser ministrado em institutos isolados, e que a organização técnica e administrativa das universidades é instituida no presente Decreto, regendo-se os institutos isolados pelos respectivos regulamentos, observados os dispositivos do Estatuto das Universidades Brasileiras. Disponível em:
. Acesso em: 20 set. 2015.
BRASIL. Lei nº. 4024 de 20 de dezembro de 1961. Fixa as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. . Acesso em: 20 set. 2015.
BRASIL. Lei nº 5.540, de 28 de novembro de 1968. Fixa normas de organização e funcionamento do ensino superior e sua articulação com a escola média, e dá outras providências. Disponível em:
. Acesso em: 12 mar. 2016.
BRASIL. Lei nº 9394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Brasília, DF, 1996.
BRASIL. Lei nº. 10. 172, de 9 de janeiro de 2001. Aprova o Plano Nacional de Educação e dá outras providências. Disponível em:
. Acesso em 20 de setembro de 2015.
BRASIL. Lei nº. 10.861, de 14 de abril de 2004. Institui o Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior – SINAES e dá outras providências. Disponível em: . Acesso em: 20 set. 2015.
BRASIL. Lei 13. 005, de 25 de junho de 2014. Aprova o Plano Nacional de Educação - PNE e dá outras providências. Disponível em:
. Acesso em: 10 mar. 2016.
BRASIL. Departamento de Assuntos Universitários. Plano de trabalho de extensão universitária. Brasília: MEC, 1975.
BRASIL. Resolução CNE/CES nº. 7, de 18 de dezembro de 2018. Estabelece as Diretrizes para a Extensão na Educação Superior Brasileira e regimenta o disposto na Meta 12.7 da Lei nº 13.005/2014 que aprova o Plano Nacional de Educação – PNE – 2014-2014 e dá outras providências. Disponível em:
. Acesso em: 2 de jul. 2019.
COSTA, Maria do Perpétuo Socorro de Lima. Projetos de extensão da Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri/Diamantina em escolas de educação básica: ações, concepções e desafios, 2015.
FÓRUM DE PRÓ-REITORES DE EXTENSÃO DAS UNIVERSIDADES PÚBLICAS BRASILEIRAS. Política Nacional de Extensão Universitária. Manaus: FORPROEX, 2012. Disponível em: . Acesso em: 10 de set. 2015.
FREIRE, Paulo. Extensão ou comunicação? Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2011.
GEZMET, Sandra. “La vinculación universidad-sociedad. Modelos de extensión y características de las interacciones” en Barrientos, Mario (Comp.). Compendio bibliográfico sobre extensión univesitaria. Córdoba: Universidad Nacional de Córdoba, 2014, pp.23-29.
GURGEL, Roberto Mauro. Extensão universitária: comunicação ou domesticação? São Paulo: Cortez Editora, 1986.
NOGUEIRA, Maria das Dores Pimentel. Políticas de extensão universitária brasileira. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 2005.
SANTOS, Boaventura de Sousa. A universidade no século XXI: para uma reforma democrática e emancipatória da universidade. 3. ed. São Paulo: Cortez, 2011.
UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE. Centro Rural Universitário de Treinamento e Ação Comunitária - CRUTAC. Histórico. Natal, 2017. Disponível em: . Acesso em: 10 jan. 2017.
VAILLANT, Denise; MARCELO, Carlos. Ensinando a ensinar. As quatro etapas de uma aprendizagem. Curitiba: Editora Universidade Tecnológica Federal do Paraná, 2012.
Publicado
2020-06-02