Formação Socioemocional: olhares para a docência na educação básica

  • Thayanne Lima da Silva Universidade Federal de Pernambuco-UFPE
  • Ezir George Silva Universidade Federal de Pernambuco
Palavras-chave: formação; socioemocional; docência; educação básica.

Resumo

A partir da década de 1990, iniciou-se um movimento mundial na Educação marcado por reflexões sobre a escola desejada para o século XXI, trazendo à tona, por meio de diferentes documentos, a importância de uma perspectiva ampla do desenvolvimento humano, que incluísse, intencionalmente, aspectos socioemocionais. Essas reflexões impactaram na elaboração de legislações educacionais brasileiras, como a Lei de Diretrizes e Bases para Educação Básica (LDB) e, mais recentemente, a Base Nacional Comum Curricular (BNCC). Ainda assim, considera-se um grande desafio para Educação pensar em uma formação docente que tenha em sua base a formação socioemocional como aspecto fundamental. Nesse sentido, o presente artigo, que é fruto de um projeto de pesquisa do nível do mestrado, busca problematizar as categorias da formação socioemocional e da prática docente nos âmbitos da educação básica pública. Os achados apresentados são de natureza inicial e suas possíveis contribuições pretendem ajudar a ampliar os olhares acerca da formação socioemocional para a docência a partir das proposições tanto da LDB quanto da BNCC. Pretende-se, ainda, pensar não somente acerca dos seus modos de aplicação, mas discutir a viabilidade construtora de suas intenções e sentidos, naquilo que pesa a vivência discente, elaboração do currículo, produção de conteúdos didáticos e todas as suas repercussões para a formação humana e seus desdobramentos sociais e políticos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Thayanne Lima da Silva, Universidade Federal de Pernambuco-UFPE

Mestranda em Educação pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), com projeto de pesquisa focado no desenvolvimento socioemocional de docentes. Graduada em Psicologia pela Universidade Federal da Paraíba (UFPB), com pós-graduação em Neuropsicologia e Desenho Instrucional. Já atuou com formação de professores para o desenvolvimento de habilidades socioemocionais no contexto da educação pública e privada, formação de equipes para consultoria de programas de educação socioemocional e produção de materiais didáticos em educação socioemocional no contexto da educação básica. Seus estudos e atuação profissional situam-se no âmbito do Desenvolvimento Emocional, Educação Socioemocional e aprendizado de competências e habilidades socioemocionais em diferentes áreas.

Ezir George Silva, Universidade Federal de Pernambuco

Doutor e Mestre em Educação pela Universidade Federal de Pernambuco –UFPE. Graduado em Pedagogia e Pós-Graduado em Gestão Escolar e Coordenação Pedagógica pela Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Caruaru – FAFICA. Professor permanente da Pós-Graduação da UFPE e Professor Adjunto da Universidade Federal Rural de Pernambuco – UFRPE. Ensina e pesquisa nas áreas de Fundamentos Sócio-Filosóficos da Educação, da Comunicação Educativa e Educação e Espiritualidade. Autor dos livros: Modernidade & Pluralidade: o impacto destes pressupostos filosóficos sobre a educação, Edições FAFICA, 2008; Educação e Filosofia da Existência: contribuições de Otto Friedrich Bollnow para a formação humana, LiberArs, 2018; Fenomenologia do Ser e do Ter na Visão Filosófico-pedagógico de Gabriel Marcel, Edições Loyola, 2019.

Referências

ABED, Anita Lilian Zuppo. O desenvolvimento das habilidades socioemocionais como caminho para a aprendizagem e o sucesso escolar de alunos da educação básica. Construção psicopedagógica, São Paulo, v. 24, n.25, p. 8-27, 2016. Disponível em: . Acesso em: 26 ago. 2020.

ALZINA, Rafael Bisquerra; GONZÁLEZ, Juan Carlos Pérez.; NAVARRO, Esther García. Inteligencia emocional en educación. 1 ed. Madrid: Sintesis, 2015.

ANDRADE, Cláudia; FRANCO, Glória. Inteligência emocional como fator protetor do burnout em Professores do 2.º e 3.º ciclos e secundário da RAM. International Journal of Developmental and Educational Psychology. INFAD. Revista de Psicología, v. 6, n. 1, p. 417-426, 2014. Disponível em: Acesso em: 26 ago. 2020

ARANTES, Mariana Marques. Educação emocional integral: análise de uma proposta formativa continuada de estudantes e professores em uma escola pública de Pernambuco. 2019. 274 p. Tese (Doutorado em educação) – Universidade Federal de Pernambuco/ UFPE, Recife, 2019.

BACICH, Lilian; MORAN, José (Org.). Metodologias ativas para uma educação inovadora: uma abordagem teórico-prática. 1 ed. Porto Alegre: Penso Editora, 2018.

BRACKET, Marc et al. Emotional Intelligence. In Barrett, Lisa Feldman; Lewis, Michael; Haviland-Jones, Jeannette (Org.). Handbook of emotions. 4 ed. New York: Guilford Publications, 2016, 513-531.

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular: Educação é a Base. Brasília: MEC, 2017. 470 p. Disponível em:
http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_20dez_site.pdf. Acesso em: 26 ago. 2020.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil. Congresso. Brasília, DF, 1988.

BRASIL. Lei de Diretrizes e Bases da Educação. Lei Federal n.º 9.394, de 26/12/1996.

BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais: introdução aos parâmetros curriculares nacionais / Secretaria de Educação Fundamental. – Brasília: MEC/SEF, p. 126, 1997.

BRASIL. Ministério da Educação. Parâmetros curriculares nacionais (ensino médio). Brasília: MEC/SEF, p. 109, 2000.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Parâmetros nacionais de qualidade para a educação infantil. Brasília: vol. 1, p. 64, 2006.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Conselho Pleno. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação Continuada de Professores da Educação Básica. Projeto de Resolução CNE/CP. Brasília, 2020.

CASASSUS, Juan. Fundamentos da educação emocional. 1. ed. Brasília: Liber Livro; Unesco, 2009.

CASTILHO-GUALDA, Ruth et al. Resultados preliminares del método RULER en la inteligencia emocional y el compromisso laboral de profesores Españoles. Electronic Journal of Research in Educational Psychology, Espanha, v. 15, n. 3, p. 641-664. Disponível em: < http://ojs.ual.es/ojs/index.php/EJREP/article/view/1733> Acesso em: 15 jan. 2021

DURLAK, Joseph A. et al. (Org.). The handbook of social and emotional learning. 1 ed. New York: The Guilford Press, 2015.

FILATRO, Andrea; CAVALCANTI, Carolina Costa. Metodologias Inov-ativas na educação presencial, a distância e corporativa. 1 ed. São Paulo: Saraiva, 2018.

FREIRE, Isabel et al. A Dimensão Emocional da Docência: Contributo para a Formação de Professores. Revista Portuguesa de Pedagogia, Portugal, v. 46, n. 2, p. 151-171, 2012. Disponível em: Acesso em: 15 jan. 2021

LEWIS, Michael. The emergence of humans emotions. In Barrett, L. F.; Lewis, M.; Haviland-Jones, Jeannette (Org.). Handbook of emotions. 4 ed. New York: Guilford Publications, 2016, 272-292.

MORIN, Edgar. Os sete saberes necessários à educação do futuro. 2. ed. São Paulo: Cortez; Unesco, 2011.

NEIRA, Marcos Garcia; JÚNIOR, Wilson Alviano; ALMEIDA, Déberson Ferreira de. A primeira e segunda versões da BNCC: construção, intenções e condicionantes. EccoS Revista Científica, São Paulo, v. 41, p. 31-44, 2016. Disponível em: https://www.redalyc.org/articulo.oa?id=71550055003. Acesso em: 12 jan. 2021.

PACHECO, Natalio Extremeta; BERROCAL, Pablo Fernandez. Inteligencia emocional y educación. 1 ed. Madrid: Editorial Grupo 5, 2015.

PACHECO-SALAZAR, Berenice Pacheco. Educación emocional en la formación docente: Clave para la mejora escolar. Ciencia y Sociedad, 42 (1): 104-110, 2017, DOI: 10.22206/cys.2017.v42i1.pp107-113.

DELORS, Jaques et al. (Org.). Um Tesouro a Descobrir: Relatório para a UNESCO da Comissão Internacional sobre Educação para o século XXI. Brasília: Unesco, 2010. Disponível em: . Acesso em: 26 ago. 2020.

PERONI, Vera Maria Vidal; CAETANO, Maria Raquel; ARELARO, Lisete Regina Gomes. BNCC: disputa pela qualidade ou submissão da educação? Revista brasileira de política e administração da educação, São Paulo, v. 35, n. 1, p. 035 - 056, 2019. Disponível em: Acesso em: 15 jan. 2021


SÜSSEKIND, Maria Luiza. A BNCC e o “novo” Ensino Médio: reformas arrogantes, indolentes e malévolas. Revista Retratos da Escola, Brasília, 13(25): 91-107, jan./mai., 2019. Disponível em: . Acesso em: 12 jan. 2021.

MARQUES, Alcione Moreira; TANAKA, Luiza Hiromi; FÓZ, Adriana Queiróz Botelho. Avaliação de programas de intervenção para a aprendizagem socioemocional do professor: Uma revisão integrativa. Revista Portuguesa de Educação, v. 32, n. 1, p. 35-51, 2019. Disponível em: Acesso em: 07 jan. 2021

WEISSBERG, Roger et al. CASEL guide effective social and emotional learning programs: Preschool and elementary school edition. Chicago: CASEL, 2013.
Publicado
2021-05-29
Como Citar
Thayanne Lima da Silva, & Ezir George Silva. (2021). Formação Socioemocional: olhares para a docência na educação básica. Devir Educação, 5(1), 81-94. https://doi.org/10.30905/rde.v5i1.345
Seção
Artigos de fluxo contínuo