As práticas de letramento matemático digital e o papel mediador das tecnologias digitais: uma experiência com o software superlog na educação básica

  • Francislaine Ávila de Souza Universidade Federal de Lavras https://orcid.org/0000-0002-6148-3048
  • José Antônio Araújo Andrade Universidade Federal de Lavras
  • Francine de Paulo Martins Universidade Federal de Lavras
Palavras-chave: Educação Matemática, Letramento Matemático, Educação Básica

Resumo

O artigo em tela refere-se a um recorte de uma pesquisa desenvolvida no âmbito do Mestrado Profissional em Educação, cujo objetivo foi o de analisar as potencialidades do ambiente computacional Logo em práticas de letramento matemático digital no desenvolvimento do pensamento algébrico. Os dados foram gerados a partir de tarefas desenvolvidas com estudantes do quinto ano do Ensino Fundamental de uma escola pública do interior de Minas Gerais. Para fundamentação teórica, foram utilizados como aporte teórico autores que discutem sobre as tecnologias digitais e sobre o letramento matemático e letramento digital com foco em Soares (2002), Ribeiro e Coscarelli (2017), Street (2004), Borba (2001) e Mendes (2007). Obteve-se como resultado a compreensão de que o uso das tecnologias digitais potencializa o processo de ensino e de aprendizagem, uma vez que o estudante é colocado frente a sua realidade social, pois atualmente a tecnologia digital faz parte da história e do contexto cultural dos sujeitos, e essa utilização da tecnologia digital, e de outras mídias, e a intencionalidade em que a situação desencadeadora de aprendizagem foi elaborada permitiu que fossem mobilizados os conhecimentos cotidianos, os conhecimentos matemáticos e os conhecimentos digitais que eles já possuíam e somando-se àqueles que eles adquiram durante a tarefa, atingindo aos objetivos de aprendizagem.

Biografia do Autor

José Antônio Araújo Andrade, Universidade Federal de Lavras

Atua como docente e pesquisador permanente dos Programas de Pós-Graduação em Ensino de Ciências e Educação Matemática e em Educação Científica e Ambiental, ambos na Universidade Federal de Lavras (UFLA). É líder do grupo de pesquisa Práticas Pedagógicas orientadas pela Teoria Histórico-Cultural (PPTHC - DGP/CNPq). Atuou como docente permanente do Mestrado Nacional em Ensino de Física (UFLA) e do Programa de Pós-Graduação em Educação da UFLA. Atuou como diretor de apoio e desenvolvimento pedagógico (2012-2016) e como diretor de Avaliação e Desenvolvimento do Ensino (2016-2017), ambos na Pró-Reitoria de Graduação da UFLA e foi membro e presidente da Comissão Própria de Avaliação da UFLA (2012-2014). Possui Licenciatura Plena em Matemática pela Universidade São Francisco (2000), Mestrado em Educação pela Universidade São Francisco (2004) e Doutorado em Educação na Universidade Federal de São Carlos (2012). Tem experiência na área de Matemática e Educação Matemática, com ênfase no ensino de Matemática, atuando principalmente nos seguintes temas: Teoria Histórico-Cultural da Atividade; Modelagem na Educação Matemática, História das Ciências, Educação Matemática Mediada por Tecnologias Digitais e Formação de Professores.

Francine de Paulo Martins , Universidade Federal de Lavras

Doutora e Mestre em Educação: Psicologia da Educação pela PUC-SP (2009). Licenciada em Pedagogia pela Universidade de Mogi das Cruzes (2003). Especialista em Capacitação Docente em Música Brasileira, com ênfase na formação de Professores pela Universidade Anhembi Morumbi (2005). Atualmente é Professora da Graduação e do Programa de Pós-Graduação em Educação do Departamento de Educação da Universidade Federal de Lavras. Tem experiência na Educação Superior tendo atuado como coordenadora dos Cursos de Pedagogia e Letras da Faculdade Unida de Suzano - UNISUZ e como docente do Curso de Pedagogia da Universidade de Mogi das Cruzes - UMC e da Faculdade Unida de Suzano - UNISUZ; e como coordenadora do Setor de extensão e Assuntos Comunitários da UMC. Atuou, ainda, como docente efetiva da rede Municipal de Ensino de Mogi das Cruzes e da rede particular. Tem experiência formação e pesquisa na área de Educação, atuando principalmente nas seguintes áreas: Formação de Professores; Didática; prática docente na Educação Infantil e no Ensino Fundamental, Musicalização e arte-educação. É Líder do grupo de Pesquisa sobre Formação docente e práticas pedagógicas - FORPEDI CNPq/UFLA; e do Laboratório de Didática LabFor/UFLA; é coordenadora da Brinquedoteca do Curso de Pedagogia da UFLA; e Vice-Diretora de Avaliação e Desenvolvimento do Ensino - DADE/UFLA.

Referências

BORBA, Marcelo de Carvalho. Coletivos Seres-humanos-com-mídias e a Produção de Matemática. In: Simpósio de Psicologia da Educação Matemática, 1. 2001. Curitiba.

BORBA, Marcelo de Carvalho; SILVA, Ricardo Scucuglia Rodrigues da; GADANIDIS, George. Fases das tecnologias digitais em Educação Matemática: sala de aula e internet em movimento. 1. ed; 1. reimp. Belo Horizonte: Autêntica, 2015.

BUZATO, Marcelo El Khouri. Letramentos Digitais e Formação de Professores. EducaRede, p. 1–14, 2006.

COSCARELLI, Carla V.; RIBEIRO, Ana E. Letramento Digital. In: FRADE, Isabel C. A. S.;
VAL, Maria G. C.; BREGUNCI, Maria G. C. (Orgs.). Glossário CEALE*. Termos de
Alfabetização, Leitura e Escrita para Educadores. Centro de Alfabetização, Leitura e
Escrita - CEALE. Faculdade de Educação da UFMG. Belo Horizonte: 2014.

FERNANDES, Fernando Luís Pereira. INICIAÇÃO A PRÁTICAS DE LETRAMENTO ALGÉBRICO EM AULAS EXPLORATÓRIO-INVESTIGATIVAS. 2011. 131 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Pós-graduação da Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2011. Disponível em: . Acesso em: 18 dez. 2018.

KLEIMAN, Angela Bustos. O que é letramento?.In. KLEIMAN, Angela B. (orgs.). Os significados do letramento: uma nova perspectiva sobre a prática social da escrita. Campinas: Mercado de Letras, 1995.

LEONTIEV, Alexis. Actividad, Consciencia y Personalidad. Buenos Aires: Ciencias del
Hombre, 1978.

LÉVY, Pierre. As tecnologias da inteligência: o futuro do pensamento na era da Informática. Rio de Janeiro: Editora 34, 1993.

MENDES, Jackeline Rodrigues. Matemática e práticas sociais: uma discussão na perspectiva do numeramento. In MENDES, Jackeline Rodrigues; GRANDO, Regina Célia (orgs.). Múltiplos olhares: matemática e produção de conhecimento. São Paulo: Musa, 2007, p.11-29.

MOREIRA, Kátia Gabriela. A sala de aula de matemática de um 1° ano do ensino fundamental: contexto de problematização e produção de significados. 2015. 150 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Pós-graduação Stricto Sensu em Educação, Universidade São Francisco, Itatiba, 2015.

OECD. Sample Tasks from Pisa 2000 Assesment. Reading mathematical and scientific literacy, 2002.

PELLATIERI, Mariana. LETRAMENTOS MATEMÁTICOS ESCOLARES NOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL. 2013. 126 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Mestrado em Educação, Universidade São Francisco, Itatiba, 2013. Disponível em: . Acesso em: 12 jun. 2017.

RIBEIRO, Ana Elisa; COSCARELLI, Carla Viana (Org.). LETRAMENTO DIGITAL: Aspectos sociais e possibilidades pedagógicas. 3. ed. Belo Horizonte: Ceale; Autêntica Editora, 2017.

RIPPER, Afira Vianna. Significação e mediação por signo e instrumento. Temas psicológicos, v.1 n.1, abr. 1993.

SANTOS, Rogério de Souza. O DESENVOLVIMENTO DO PENSAMENTO TEÓRICO NO ENSINO DA TERMODINÂMICA EM SITUAÇÕES DESENCADEADORAS DE APRENDIZAGEM. 2018. 232 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Pós-graduação em Ensino de Física, Departamento de Ciências Exatas, Universidade Federal de Lavras, Lavras, 2018. Disponível em: . Acesso em: 15 jan. 2019.


SOARES, Magda. Letramento: um tema em três gêneros. 3. ed. Belo Horizonte, MG: Autêntica, 2016. 124 p.

SOARES, Magda. Alfabetização e letramento. ed. 6. São Paulo: Contexto, 2012.

SOARES, Magda. Novas práticas de leitura e escrita: letramento na cibercultura. In: Educação e Sociedade, Campinas, v. 23, n. 81, dez 2002. Disponível em: . Acesso em: jul. 2016.

STREET, Brian. Los Nuevos Estudios de Literacidad. In: ZAVALA, V.; NIÑO-MURCIA, M.; AMES, P. (eds.) Escritura y Sociedad: nuevas perspectivas teóricas y etnográficas. Lima: Red para El Desarrollo de las Ciencias Sociales en el Perú, 2004, p. 81-107.

STREET, Brian. Letramentos sociais: abordagens críticas do letramento no desenvolvimento, na etnografia e na educação. São Paulo: Parábola Editorial, 2014. 240 p. Tradução de: Marcos Bagno.

TIKHOMIROV, Oleg Konstantinovich. The psychological Consequences of Computarization. In Wertsch, J. V. (Ed.). The Concept of Activity in Soviet Psychology. New York: M. E. Sharpe Inc. pp. 256- 278, 1981.
Publicado
2020-08-12