Notas marginais sobre subjetividade e educação em tempos modernos líquidos.

  • Alex Sander da Silva UNESC - Universidade do Extremo Sul de Santa Catarina
  • Lucas Santiago Costa UNESC - Universidade do Extremo Sul de Santa Catarina
Palavras-chave: Subjetividade, Alteridade, Modernidade Líquida, Educação

Resumo

Este texto é um ensaio que busca abordar o conceito educacional a partir do enfrentamento da subjetividade e da alteridade. A proposta refere-se a um pensamento crítico que orienta uma possível reflexão sobre a questão das fundações educacionais nos tempos líquidos modernos, na perspectiva de Zygmunt Bauman. Nesse sentido, cabe a nós fazer uma pergunta: como pensar a educação neste momento em que aspectos de uma crise de fundamentos nas diretrizes pedagógicas da educação contemporânea florescem cada vez mais? Pensar em subjetividade e alteridade à luz do pensamento de Bauman é uma tarefa que não pode ser evitada por algumas categorias potencialmente formativas de subjetividade no pensamento contemporâneo, na perspectiva da modernidade líquida.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Alex Sander da Silva, UNESC - Universidade do Extremo Sul de Santa Catarina

Doutor em Educação pela Pontifícia Universidade Católica do Rio do Sul (PUC-RS). Professor na Universidade
do Extremo Sul Catarinense, UNESC, SC-Brasil.

Lucas Santiago Costa, UNESC - Universidade do Extremo Sul de Santa Catarina

Mestrando em Educação do PPGE da Universidade do Extremo Sul Catarinense, UNESC, SC-Brasil.

Publicado
2020-06-02
Como Citar
Silva, A. S. da, & Lucas Santiago Costa. (2020). Notas marginais sobre subjetividade e educação em tempos modernos líquidos. Devir Educação, 4(1), 250-262. https://doi.org/10.30905/ded.v4i1.201