PENSANDO A UNIVERSIDADE COMUNITÁRIA NA PERSPECTIVA DA DIALÉTICA NEGATIVA DE THEODOR W. ADORNO

  • Luiz Carlos Andrade de Aquino Universidade do Vale do Paraíba - UNIVAP
Palavras-chave: Universidade comunitária, Mercantilização da educação, Theodor W. Adorno.

Resumo

Este artigo, a partir de um estudo de caso – A Universidade do Vale do Paraíba, situada em São José dos Campos/SP - investiga a possibilidade da universidade comunitária, enfrentar os constrangimentos colocados pelo progressivo processo de mercantilização do ensino superior brasileiro e, assim, contribuir para sua efetiva democratização. Com fundamento na dialética negativa de Theodor W. Adorno, buscou-se identificar a tensão entre o conceito da universidade comunitária (suas dimensões positivas e normativas) e as concepções que os diversos atores institucionais possuem sobre as práticas que realizam e sobre o papel comunitário da instituição. Com base em dados do Censo da Educação Superior do MEC/Inep, da legislação educacional brasileira e documentos institucionais da universidade pesquisada, além de entrevistas com os atores institucionais (Gestores, Conselheiros Externos, Coordenadores de Curso, Pesquisadores, Docentes e Funcionários), sugere-se que o agir universitário comunitário é um agir dialético, crítico à realidade dada e, por assim se constituir, possibilita pela crítica imanente a busca do ideal proclamado de uma educação comunitária. Assim, o caminho para a universidade construir sua identidade comunitária é ampliar a discussão e a participação da comunidade interna e externa na definição e execução das políticas institucionais de ensino, pesquisa, extensão e gestão, concebendo a universidade como uma instituição e não como uma organização, bem com a educação como um direito e não um serviço. Por fim, buscar compreender a dialética do agir universitário comunitário contribui para o resgate do sentido eminentemente político e transformador da ação humana na relação educacional comunitária.

Biografia do Autor

Luiz Carlos Andrade de Aquino, Universidade do Vale do Paraíba - UNIVAP

Doutorado em Filosofia da Educação, concluído em 2016 pela Universidade Metodista de Piracicaba (UNIMEP), Mestrado em Ciência Política pela Universidade de São Paulo (1995). Atualmente leciona Economia Política e Ciência Política na Univap. Pesquisador Líder do Núcleo de Estudo em Direito, Estado e Sociedade (NEDES) da Univap, atuando na linha de pesquisa Teoria Crítica do Direito e da Justiça.

Referências

ADORNO, T. W. Teoria da semiformação. Tradução de Newton Ramos-de-Oliveira. In: PUCCI, B.; ZUIN, A. A. S.; LASTÓRIA, L. A. C. N. (Orgs.). Teoria Crítica e Inconformismo: novas perspectivas de pesquisa. Campinas: Autores Associados, 2010.

_____. Dialética negativa. Tradução de Marco Antonio Casanova. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editora, 2009.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2011.

BRASIL. Lei n.º 12.881, de 13 de novembro de 2013. Dispõe sobre a definição, qualificação, prerrogativas e finalidades das Instituições Comunitárias de Educação Superior ‐ ICES, disciplina o Termo de Parceria e dá outras providências. Disponível em:. Acesso em: 02 fev. 2015.

CHAUÍ, M. A universidade pública sob nova perspectiva. Revista Brasileira de Educação. Rio de Janeiro, n. 24, p. 5-15, 2003.

FUNDAÇÃO VALEPARAIBANA DE ENSINO. Estatuto. São José dos Campos, SP: Fundação Valeparaibana de Ensino, 2011.

PUCCI, B. A dialética negativa enquanto metodologia de pesquisa em educação: atualidades. Revista e-curriculum. São Paulo: PUC, v. 8, n. 1, abril de 2012. Disponível em: . Acesso em: 21 nov. 2016.

SGUISSARDI, V. Modelo de expansão da educação superior no Brasil: predomínio privado/mercantil e desafios para a regulação e a formação universitária. Educação e Sociedade. Campinas, vol. 29, n. 105, p. 991-1022, 2008.

_____. Estudo Diagnóstico da Política de Expansão da (e Acesso à) Educação Su¬perior no Brasil – 2002-2012. Brasília: Edital N. 051/2014 SESU; Projeto de Organismo Internacional – OEI; Projeto OEI/BRA/10/002, 2014.

_____. Educação superior no Brasil. democratização ou massificação mercantil? Educação e Sociedade. Campinas, vol. 34, n. 124, p. 943-960, 2015.

TOLEDO, L. F. Só 8 grupos concentram 27,8% das matrículas do ensino superior. O Estado de São Paulo. São Paulo, 8 jun. 2016. Educação. Disponível em:< http://educacao.estadao.com.br/noticias/geral,apenas-8-grupos-privados-concentram-27-8-das-matriculas-do-ensino-superior,10000055857>. Aceso em: 04 dez. 2016.

UNIVERSIDADE DO VALE DO PARAÍBA. Estatuto da Universidade do Vale do Paraíba. São José dos Campos: Univap, 1992.

_____. Plano de desenvolvimento institucional 2011-2015. São José dos Campos: Univap, 2010.

_____. Relatório anual da Univap 2015. São José dos Campos: Univap, 2016.

_____. Relatório de autoavaliação institucional 2015. São José dos Campos: Univap, 2016c.

VANNUCCHI, A. A universidade comunitária - o que é, como se faz. 2ª. ed. revista e ampliada. São Paulo: Edições Loyola, 2011.
Publicado
2019-05-20