A centralidade do trabalho na psicodinâmica de Christophe Dejours, o campo educacional e o trabalho docente: aproximações possíveis

  • Arnaldo Valentim Silva Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP
  • Evaldo Piolli Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP

Resumo

O objetivo deste artigo é apresentar a contribuição das pesquisas e reflexões de Christophe Dejours para a retomada da questão da centralidade do trabalho em uma conjuntura marcada por avanços tecnológicos e científicos sem precedentes que parecem, à primeira vista, relativizar a importância do trabalho na construção da vida social. Ao construir um itinerário de pesquisa que denomina de psicodinâmica do trabalho o autor francês, na contramão do senso comum e dos clichês sobre o fim do proletariado, chama a atenção para o papel do trabalho na construção da identidade, nas relações de gênero e na construção da vida em sociedade. Ao final pretende-se, brevemente, ilustrar de que modo as reflexões e descobertas das pesquisas conduzidas por Dejours podem lançar questões ao trabalho do professor e ao cotidiano da escola num contexto no qual, segundo uma lógica neoliberal, se aprofunda a transposição de modelos gerenciais típicos das empresas para as escolas e nos sistemas educativos.

Biografia do Autor

Arnaldo Valentim Silva, Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP
Doutorando do Programa de Pós-Graduação em Educação da UNICAMP
Evaldo Piolli, Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP
Professor da Faculdade de Educação e do Programa de Pós-Graduação em Educação da UNICAMP
Publicado
2017-04-27
Seção
Artigos de pesquisa